sexta-feira, 27 de março de 2015

Ministro defende participação da sociedade na construção da Pátria Educadora

O ministro interino da Educação, Luiz Cláudio Costa,
 participa da abertura do FNE (Foto: João Neto/MEC)
O ministro da Educação interino, Luiz Cláudio Costa, convocou o Fórum Nacional de Educação (FNE) para participar ativamente da construção do Brasil como Pátria Educadora. Costa participou da abertura da primeira reunião do FNE de 2015, no dia 24 de março, em Brasília.

Para Costa, o Fórum deve participar das discussões sobre a construção da Pátria Educadora. “Evidentemente que a Pátria Educadora não é uma função exclusiva do Ministério da Educação, é também e preponderante, mas é função de todos nós, nós estamos falando de cidadania, nós estamos de valores, nós estamos falando de ações que mostram que, de fato, o Brasil é uma pátria educadora”, disse o ministro interino.

O Fórum Nacional de Educação é um espaço de interlocução entre a sociedade civil e o Estado brasileiro. Tem entre suas principais atribuições acompanhar e avaliar os impactos da implementação do Plano Nacional de Educação (PNE). O Fórum foi criado a partir das discussões e por deliberação da Conferência Nacional de Educação de 2010 e instituído por lei em 2014, com a aprovação do PNE.  É composto por 44 entidades representantes da sociedade civil e do poder público.

Em nota publicada após a reunião, o FNE reitera o compromisso com a pauta da educação democrática na atual conjuntura brasileira, especialmente a partir das deliberações da Conae e dos avanços expressos no Plano Nacional de Educação. 

Leia mais no site da Undime.

Com informações do Portal do MEC

quarta-feira, 25 de março de 2015

Icatu (MA) reforça mobilização das famílias pela melhoria da Educação

Visitas às famílias de estudantes e divulgação do Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) em eventos das escolas foram algumas das estratégias empregadas pelo Comitê de Mobilização de Icatu (MA) em 2014 para incentivar o envolvimento de pais, mães e responsáveis no cotidiano escolar de crianças e adolescentes. Em 2015, os mobilizadores icatuenses pretendem dar continuidade a essas e outras atividades, conquistar novas parcerias e mobilizar ainda mais famílias pela melhoria da qualidade da educação.

Projeto Icatu 400 anos – Resgatando Minha Identidade Cultural

Integrantes do Comitê divulgaram a Mobilização Social pela
Educação durante a I Feira Cultural do Projeto Icatu 400 anos
A participação do Comitê no Projeto Icatu 400 anos – Resgatando Minha Identidade Cultural, desenvolvido nas escolas municipais, foi um dos destaques da atuação do grupo de mobilizadores no ano anterior. Promovido pela Prefeitura de Icatu por meio da Secretaria Municipal de Educação, o projeto visava divulgar a cultura local e resgatar a história do município. 

“O projeto teve como objetivo promover, refletir e desenvolver a cultura da nossa cidade, através da divulgação de sua história, da sua culinária, do seu artesanato, de suas festas e dos seus mais diferentes tipos de ritmos, em ações que envolveram todos os segmentos da nossa escola e comunidade local”, explicou a mobilizadora Lucia Vidal. 

Comitê foi parceiro da Academia Icatuense de Letras, Ciências
e artes em curso oferecido nas escolas do município
Durante a I Feira Cultural – uma das ações do projeto –, realizada no dia 24 de novembro do ano anterior, os mobilizadores divulgaram a cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos e conversaram com a comunidade sobre a importância da participação dos pais na trajetória escolar. “No estande do Comitê, foram distribuídas cartilhas, folders sobre o Plano de Mobilização e houve a presença dos personagens das histórias infantis do projeto mini biblioteca, que o Comitê lançou desde o ano de 2011 e que faz muito sucesso com as crianças”, contou Lucia. 

Participantes do curso do projeto Icatu 400 anos no povoado
Salgado
O Comitê de Mobilização também foi parceiro da Academia Icatuense de Letras, Ciências e Artes na realização de curso para promover o resgate cultural da cidade nas escolas, como parte do projeto Icatu 400 anos. Desenvolvido em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação, o curso foi realizado de fevereiro a novembro de 2014 e alcançou todos os povoados de Icatu – Itapera, Santa Izabel, Boa Vista dos Monroe, Sertãozinho, Santo Antônio dos Caboclos, Itatuaba, Jussatuba, Boca da Mata, Tapera do Apolônio, Salgado, Cacaueiro e Boqueirão –, bem como a sede do município.

Visitas domiciliares

Membros do Comitê de Icatu visitam residências dos alunos
para conversar com familiares
A convite da Escola Municipal Severiano de Azevedo, integrantes do Comitê de Icatu reuniram-se com o Conselho Tutelar e com a diretora da unidade de ensino, Maria Cecília Moreira Alves, em setembro do ano anterior, para dialogar sobre a necessidade de acompanhamento das famílias de alunos que vinham apresentando problemas de comportamento e baixo interesse nas atividades em sala de aula. Como resultado do encontro, o Comitê passou a visitar as residências de cinco estudantes, conversando com seus familiares sobre a importância da participação de pais, mães e responsáveis no processo de ensino e aprendizagem.

Mobilizadores promovem atividades com alunos para estimular
interesse pelos estudos
Além de conversar com as famílias, o grupo de mobilizadores busca acompanhar os alunos e estimular o interesse pelos estudos por meio de ações como visitas à biblioteca, onde os estudantes participam de atividades de leitura, jogos e desenhos, e com passeios a museus em São Luís. O Comitê ainda busca dar apoio aos familiares em situação de vulnerabilidade social, em parceria com o Conselho Tutelar e o Ministério Público.


Com informações de Lucia Vidal, líder do Comitê de Mobilização Social pela Educação em Icatu (MA).

sexta-feira, 20 de março de 2015

Estados e municípios têm prazo até 24 de junho para aprovar suas diretrizes e metas para 2024

Estados e municípios devem criar e aprovar seus planos de educação até 24 de junho, como estabelecido no Plano Nacional de Educação (PNE). “O prazo está se esgotando, mas ainda dá tempo”, afirma o secretário de Articulação com os Sistemas de Ensino (Sase), Binho Marques. “Aqueles que ainda não começaram o processo – que vai desde o diagnóstico até a aprovação de lei municipal ou estadual – devem fazê-lo o quanto antes”, alerta.

Para que os entes consigam cumprir o prazo, o Ministério da Educação colocou à disposição dos gestores municipais e estaduais uma estrutura de assistência técnica. As orientações estão disponíveis na página do PNE, com roteiro completo, da construção à aprovação dos planos.

A Sase também tem feito reuniões com os coordenadores estaduais para tirar dúvidas e auxiliar no processo e abriu uma agenda de visitas aos secretários que estão com maior dificuldade de cumprir o prazo. O MEC também tem uma equipe de 297 técnicos, supervisores e coordenadores que atendem todas as secretarias de educação dos estados e municípios.

Estados – Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Maranhão são as unidades da Federação com planos já sancionados; Rondônia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul enviaram projetos de lei para apreciação dos legislativos; Distrito Federal e Roraima estão com os projetos elaborados; Acre, Tocantins, Rio de Janeiro e Pernambuco fizeram o documento-base; Amazonas, Pará, Amapá, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Goiás, Espírito Santo e São Paulo concluíram o diagnóstico da realidade local. Os outros seis estados estão ainda no processo preliminar, apenas constituíram comissões coordenadoras.

Municípios – Entre os 5.570 municípios, 44 cumpriram todas as fases e estão com os planos sancionados; 17 já aprovaram as leis; 45 enviaram o projeto de lei à câmara de vereadores; 48 elaboraram o projeto de lei; 122 realizaram consultas públicas; 385 fizeram o documento-base; 1.083 concluíram o diagnóstico; e 2.906 instituíram comissão coordenadora. Um grupo de 914 municípios ainda não iniciou o trabalho de elaboração ou adequação do plano e seis municípios não prestaram informações ao MEC.

Em Criciúma (SC), o plano municipal está pronto, com lei aprovada desde o início de dezembro passado. “O plano se inicia com a consciência de que para se realizar uma gestão educacional de qualidade é preciso elencar prioridades; para nós, o plano foi a prioridade número um”, afirma a secretária municipal de educação, Rose Mayr. Na visão dela, sem planejamento, não há como alocar bem os recursos para cada demanda educacional. “Se temos uma direção a seguir, fica mais fácil se organizar e também garantir a continuidade das ações.”

Os planos estaduais e municipais de educação devem conter diretrizes e metas a serem alcançadas até 2024, mesma vigência do plano nacional. Vale lembrar que o apoio suplementar que o Ministério da Educação oferece aos municípios e estados levará os planos em conta. “O MEC está ajustando programas, que devem priorizar entes federativos com metas bem definidas e com maior dificuldade técnica e financeira”, explica o secretário Binho Marques.

O Plano Nacional de Educação 2014-2024 foi instituído pela Lei 13.005/2014 e tem 20 metas que, ao todo, são amparadas por mais de 250 estratégias. Para que o PNE se concretize como política de Estado integrada e colaborativa, os planos de educação do Distrito Federal, dos estados e dos municípios precisam estar alinhados a ele. Marques enfatiza que se os planos estiverem em consonância, os recursos serão otimizados e a nação avançará na ampliação do acesso e na qualidade da educação básica e superior.

Verifique a situação dos planos de cada estado e município


Texto: Letícia Tancredi - Portal MEC

quarta-feira, 18 de março de 2015

Mobilização Social pela Educação é discutida em Encontro do Ministério Público com o MEC em Rondônia

O Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) é tema de painel durante o III Encontro do Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO) com o Ministério da Educação, a ser realizado no município de Ji-Paraná (RO) nos dias 19 e 20 de março. Organizado pelo Centro de Apoio Operacional da Defesa dos Usuários dos Serviços de Educação do MP-RO, a atividade reúne, entre seus participantes, diretores de escolas, prefeitos, secretários de Educação, coordenadores regionais de ensino, técnicos, conselheiros e promotores de Justiça.

Conduzido pela coordenadora do PMSE/MEC, Ivanete Oliveira dos Santos, o painel sobre Mobilização Social pela Educação vai apresentar o histórico, as orientações e as metas do Plano de Mobilização, bem como exemplos de atividades que vêm sendo desenvolvidas em diversas localidades do País. “O objetivo da exposição durante o Encontro é conquistar o apoio de membros do Ministério Público e dos demais participantes às ações do PMSE, reforçando, assim, as atividades de valorização da Educação e de incentivo à interação família-escola-comunidade”, afirmou a coordenadora.

Além do Plano de Mobilização, o III Encontro do MP-RO com o MEC inclui debates sobre o Plano Municipal de Educação, transporte escolar e o programa Brasil Carinhoso, entre outros temas.  Acesse aqui folder de divulgação do Encontro.

Serviço

Painel sobre Plano de Mobilização Social pela Educação no III Encontro do MP-RO com o MEC
Data: 20 de março de 2015
Local: Hotel Máximus – Ji Paraná (RO)
Horário: 9h

segunda-feira, 16 de março de 2015

Estimular união entre família e escola é meta do Parceria Votorantim pela Educação para 2015

Imagem: Blog Educação
A coordenadora do Parceria Votorantim pela Educação – PVE, Anna Paula Colacino, descreve o ano de 2014 como um momento de plantio. No período, foram semeadas novas parcerias e o terreno foi preparado para os próximos anos por meio do aprimoramento das ferramentas de gestão do programa. Em 2015, a partir do tema Família e Escola Juntas – uma atitude que transforma, as perspectivas são de aprofundamento das relações com as comunidades em que o PVE atua e entre as frentes do programa – Mobilização Social e Apoio à Gestão Pública.

Nos dias 25 e 26 de fevereiro, aconteceu, em São Paulo, a primeira oficina de 2015 do PVE, com a participação de mobilizadores, formadores e parceiros do programa, que compartilharam experiências e debateram metodologias, metas e futuras ações. Um dos destaques foi a participação do Todos pela Educação, novo parceiro do PVE na promoção da melhoria da qualidade da educação no país. 

Em entrevista ao Blog Educação, a coordenadora Anna Colacino traçou um panorama da gestão do PVE ao longo de 2014 e falou sobre as perspectivas para 2015 e sobre os planos para a sétima edição do Concurso Tempos de Escola, ação do Ciclo 1 do programa neste ano. Clique aqui para conferir a entrevista e saber mais sobre as metas do projeto para 2015.

Com informações do Blog Educação

terça-feira, 10 de março de 2015

Goiás e Rio Grande do Norte recebem Oficinas de Formação de Mobilizadores nesta semana

Os municípios de Caldas Novas, em Goiás, e São José de Mipibu, no Rio Grande do Norte, recebem, nos dias 12 e 13 de março, Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação. O objetivo dos eventos é orientar voluntários para a promoção de ações que fortaleçam a interação família-escola-comunidade.

Durante as oficinas, serão apresentadas as metas e estratégias do Plano de Mobilização Social pela Educação, bem como exemplos bem-sucedidos de sua implantação em diversas localidades. Serão debatidos, ainda, o Plano Nacional de Educação, os fundamentos da interação família-escola-comunidade e os avanços e desafios da Educação no Brasil, entre outros tópicos.

Ambos os eventos foram articulados a partir de contatos estabelecidos no estande da Mobilização Social pela Educação durante a 2ª Conferência Nacional de Educação (Conae), realizada em novembro do ano anterior.


Caldas Novas (GO)

Em Caldas Novas, a Oficina de Formação de Mobilizadores é promovida pela Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT), em parceria com o Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação (PMSE/MEC). A ser desenvolvida no Centro de Convenções Lídia Maria, a atividade contará com exposições conduzidas pelo representante do PMSE/MEC, Paulo Ronaldo dos Santos.

A articulação da Oficina de Caldas Novas junto ao MEC, iniciada no estande da Conae, foi realizada pelo coordenador da SEMECT, Jesiel Simplício da Silva.

Serviço

Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação em Caldas Novas (GO)
Data: 12 e 13 de março de 2015
Local: Sala Pequi – Centro de Convenções Lídia Maria, anexo à rodoviária
Horário: 8h às 18h


São José de Mipibu (RN)

A ser realizada na Secretaria Municipal de Educação de São José de Mipibu, a Oficina de Formação de Mobilizadores no município potiguar conta com exposições conduzidas pela coordenadora do Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação, Ivanete Oliveira dos Santos. A formação também foi articulada a partir do contato durante a Conae, por iniciativa do educador e membro do Conselho Municipal de Educação, Josenilson Viana Guedes.

Serviço

Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação em São José de Mipibu (RN)
Data: 12 e 13 de março de 2015
Local: Secretaria Municipal de Educação de São José de Mipibu
Horário: 8h às 18h

sexta-feira, 6 de março de 2015

8 de março: Dia Internacional da Mulher

Neste domingo, dia 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Esse dia, no entanto, é mais do que simples data comemorativa. É preciso compreender o significado histórico do 8 de março – dia em que as mulheres em todas as nações celebram suas conquistas e afirmam a luta cotidiana por igualdade, autonomia e liberdade.

Nós mobilizadoras, mães, avós, tias, madrinhas, educadoras, reafirmamos também nesta data a defesa por uma educação pública que garanta a todas as crianças o direito de aprender como um direito fundamental e que assegure também uma educação livre de todas as formas de discriminação.

A escola tem um papel fundamental como um espaço público de socialização. A sala de aula pode ser um espaço para provocarmos mudanças culturais em nossas crianças e jovens. Com a nossa forma de ensinar podemos tecer a igualdade no cotidiano do chão da escola, oportunizando que meninas e meninos construam e desfrutem de um ambiente democrático, fraterno e solidário.

É necessário rever valores da nossa sociedade, trazer o debate da igualdade e do enfrentamento à violência doméstica e na escola, favorecer uma convivência fraterna, mais humana e sem a dominação machista que tem gerado tanta violência e desigualdades sociais.

Temos avançado, muitas mudanças e conquistas vêm acontecendo, como resultado de um processo histórico de lutas das mulheres e do movimento feminista. As políticas públicas com recorte de gênero desenvolvidas no nosso governo também contribuem nesse processo. Por meio de programas de Equidade de Gênero, de creches e escolas de tempo integral, do Bolsa Família, do Minha Casa Minha Vida, das políticas de empreendedorismo e a geração de trabalhos e renda por intermédio do micro crédito, do Pronatec e de outras ações de Estado, promovem-se a autonomia e o empoderamento das mulheres.

Viva todas as mulheres! Viva o 8 de março!

Ivanete Oliveira dos Santos
Coordenadora do Plano de Mobilização Social pela Educação no Ministério da Educação (PMSE/MEC)

quinta-feira, 5 de março de 2015

Seminário estimula interação entre comunidade e escola em São Paulo (SP)

O Parque do Ibirapuera, em São Paulo, receberá, nesta sexta-feira, dia 6 de março, o Seminário Comunidade e Escola: semeando a Cidade Educadora. O objetivo do encontro é provocar reflexões sobre o que é uma cidade educadora, qual o papel da comunidade em sua construção e como tornar seu desenvolvimento sustentável e justo.

O evento pretende aproximar agentes ambientais urbanos e escolas da rede municipal que desenvolvem trabalhos de transformação socioambiental em suas comunidades. O seminário também receberá estudantes, professores, gestores, organizações comunitárias e técnicos em educação, além de redes e organizações que trabalham com a questão ambiental.

A programação do encontro terá início às 9h e prosseguirá até 17h, com duas mesas de debate: “A Comunidade na Cidade Educadora” e “Escola na Cidade Educadora”. Haverá, ainda, espaço onde serão expostas experiências de bairros-escolas para a troca de ideias. O economista Ladislau Dowbor, a educadora e arquiteta Bia Goulart e o Bairro Educador de Heliópolis são alguns dos convidados que já confirmaram presença.

As inscrições são gratuitas e ficam abertas até o preenchimento de todas as 150 vagas. Para participar, acesse o formulário em http://bit.ly/1CUq02C.

Serviço

Comunidade e Escola: semeando a Cidade Educadora
Data: Dia 6 de março de 2015, das 9h às 17h
Local: Av. IV Centenário, 1268. CEP 04030-000. São Paulo – SP
Mais informações: cartadaterra@prefeitura.sp.gov.br 
Entrada franca

Com informações do Portal Aprendiz e do Blog Educação

segunda-feira, 2 de março de 2015

Piauí: Mobilização Social pela Educação avança em Oeiras e Teresina

Instalar comitês de Mobilização e promover Oficina de Formação de Mobilizadores são algumas das estratégias adotadas por voluntários do município piauiense de Oeiras e da capital Teresina para reforçar a interação família-escola na região. Em janeiro, a coordenadora do Plano de Mobilização Social pela Educação no Ministério da Educação, Ivanete Oliveira dos Santos, esteve em ambas as cidades para participar de eventos promovidos pelos mobilizadores locais. 

Oeiras 

Participantes da Oficina de Formação de Mobilizadores em Oeiras
Gestores escolares, assistentes sociais, conselheiros tutelares, agentes de saúde, representantes da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Oeiras e de municípios vizinhos estiveram entre os participantes da Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação sediada na cidade no dia 23 de janeiro. O evento integrou a programação de semana de formação para gestores promovida pela Semed e foi articulado junto à equipe do Plano de Mobilização Social pela Educação no Ministério da Educação (PMSE/MEC) pelo assistente social Stivie Cristiano de Sousa.

Durante a Oficina, os mobilizadores receberam orientações
para reforçar a interação família-escola na cidade
Durante a Oficina, que contou com exposições conduzidas pela coordenadora do PMSE/MEC, Ivanete Oliveira dos Santos, os participantes conheceram as metas e estratégias do PMSE, os fundamentos da interação família-escola-comunidade, bem como os avanços e desafios da educação no Brasil. Foram também apresentados aspectos do Plano Nacional de Educação (PNE) e a cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos, principal instrumento de trabalho dos mobilizadores.

Com base no conteúdo exposto, os presentes na Oficina foram orientados a, em grupos, elaborarem Plano de Ação adaptado à realidade socioeducacional de Oeiras. Para tanto, foi discutido como as escolas da cidade têm buscado envolver familiares e comunidade no cotidiano dos estudantes.

Divididos em grupos, mobilizadores discutiram Plano de Ação
“Percebemos que, nas discussões feitas durante a Oficina, a preocupação dos participantes foi como envolver as famílias na escola, e como, principalmente, atrair aqueles pais e mães que não comparecem a reuniões, que não visitam a escola”, afirmou a coordenadora Ivanete. 

Entre os resultados da Oficina, foi formado Comitê de Mobilização para reforçar o incentivo à interação família-escola no município. 

Confira abaixo a composição do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Oeiras:
  • Francisca Inês dos S. Martins – SEMED – franciscainez@yahoo.com.br
  • Helton Fernandes Lima – E.M. Sitio Nacional – hellin-15@hotmail.com
  • Joana Barbosa de Carvalho – diretora da E.M. Agrotécnica de Oeiras – joanabarbosa73@hotmail.com
  • João Borges Leal – pai de aluno
  • Marcia Estevão de Sousa – Coord. NASF/Secretaria de Saúde – marciaestevaosousa@gmail.com
  • Maria Alice de Paula Quadros – SEMUSA/Agente de Saúde – quadros@hotmail.com;
  • Maria do Espirito Santo Carvalho – diretora da Escola Urbano Alexandrino – mariaesc12@hotmail.com
  • Maria Francisca Pacheco – CRAS-II – mariafranciscapacheco45@hotmail.com
  • Maria Medianeira Alves de Sousa Silva – Conselho Tutelar – medisilva71@hotmail.com 
  • Paula Maria de Lima Gomes – Escola Agrotécnica de Oeiras – pmlg1970@hotmail.com
  • Rosirene dos Santos Silva – diretora do CAIC – rosioeiras2007@hotmail.com
  • Stivie Cristiano de Sousa – SEMED/Assistente Social – stiviecristiano@hotmail.com
  • Suely de Azevedo Santos – SEMED/Aux. Serviço Social – suelycaico@outlook.com


Teresina

Reunião para articulação do Comitê de Teresina
Na capital piauiense, os mobilizadores se reuniram no Centro Pastoral João Paulo, no dia 22 de janeiro, para criação do Comitê de Mobilização que irá conduzir as ações de incentivo à interação família-escola na cidade. O encontro foi articulado pela professora Vanda Lima e contou com a participação da coordenadora do PMSE/MEC, Ivanete Oliveira dos Santos. 

Durante a reunião, os participantes conheceram ações de mobilização que foram promovidas em Teresina. “Iniciamos fazendo leitura da pesquisa que foi feita no Blog da Mobilização das ações ocorridas em Teresina desde 2009, quando aconteceu o primeiro contato com a Mobilização. A professora Vanda e demais presentes contribuíram com o resgate histórico”, relatou Ivanete. 

Membros do Comitê de Mobilização de Teresina
A coordenadora também destacou a importância do encontro para a renovação da Mobilização em Teresina. “Avaliamos que o momento estava sendo muito oportuno para reanimação dos presentes, para buscar novas parcerias, como os Conselhos Escolares, os grêmios escolares e outras secretarias. É momento de unir forças para não deixar a esperança morrer, para lutar cada vez mais na defesa de escola pública de qualidade e da necessidade de aproximar a família da escola”, refletiu. 

Entre as ações já programadas pelo Comitê de Teresina, está a articulação junto à Secretaria Municipal de Educação para promover Oficina de Formação de Mobilizadores ainda neste primeiro semestre de 2015.

Conheça abaixo os integrantes do Comitê de Mobilização de Teresina: 
  • Alborino Teixeira da Silva – Federação Espírita do Piauí – teixeiraalborino@ig.com.br
  • Edmilson Alves da Silva – CNLB –edisonverde@hotmail.com
  • Emilia Beserra de Carvalho – SEDUC – milinhaebc@yahoo.com.br
  • Francisca Lemos – SEDUC – filosofialemos@yahoo.com.br
  • Francisco das Chagas Alves – CNLB Arquidiocesano – formato057.4@hotmail.com
  • Heledia de Souza Ferreira – SEDUC – helediaferreira@oi.com.br
  • Josirene da Silva Ferreira – SEMEC – contatojosi@hotmail.com
  • Juraci Araujo Teixeira – Equipes Docentes do Brasil – juraci2012araujo@hotmail.com
  • Lucinete Aragão Mascarenhas – SEDUC-EDO – doutorandamascarenhas@hotmail.com
  • Maria José da N. Oliveira
  • Mateus Francisco Silva – Assembleia de Deus – prmateusfrancisco@hotmail.com
  • Stivie Cristiano de Sousa – SEMED/Oeiras – stiviecristiano@hotmail.com
  • Vanda Maria de Carvalho Lima – CEBs/CNLB – vanda.carvalho@bol.com.br

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Diretor Principal: Prazo para a participação na consulta pública é esta segunda


Vai até a próxima segunda-feira, 2, o prazo para que os interessados participem da consulta pública sobre a valorização de diretores de escolas públicas de ensino básico municipais, estaduais e federais de todo o país. O objetivo é receber sugestões que ajudarão na criação do programa Diretor Principal.

Realizada pelo Ministério da Educação, a consulta pretende que alunos, pais, professores, gestores, comunidade escolar, academia, estudiosos e sociedade em geral apresentem suas experiências sobre o trabalho de diretores escolares e façam propostas, sugestões e comentários.

Para participar o internauta deverá responder a duas perguntas. 1) Como você avalia a importância de um diretor de escola de educação básica? 2) Como você entende que pode ser valorizado o papel do diretor de escola de educação básica?

Para responder à consulta pública, clique aqui.

Texto e imagem: Portal do MEC