sexta-feira, 26 de junho de 2015

PNE: Para ministro, plano é escolha do país para melhorar educação

Ao abrir o seminário do PNE, Janine Ribeiro destacou
que mais importante do que a lei é a discussão
sobre a educação na sociedade (foto: João Neto/MEC)
O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, disse na manhã desta quinta-feira, 25, que a ideia de pátria educadora deve ser entendida como um projeto nacional, que vai além das diferenças de pensamento. Ele acrescentou que o Plano Nacional de Educação (PNE) é o projeto que a sociedade brasileira escolheu para a melhoria da educação no país.

Janine Ribeiro fez a declaração ao participar da abertura do seminário O Plano Nacional de Educação e o Futuro da Educação Brasileira, promovido pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, em Brasília. O encontro marca um ano da publicação da Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que instituiu o PNE.

Para Janine Ribeiro, a pátria educadora remete a conceitos de bairro educador, cidade educadora e território educador, que não se limitam à educação formal, mas têm na educação formal seu ponto de deslanche. “Não há pátria educadora sem o PNE”, afirmou.

De acordo com o ministro, em seu primeiro ano, o PNE teve como missão principal a consulta, por estados, Distrito Federal e municípios, a suas populações e a organizações da sociedade civil para a elaboração dos planos estaduais e municipais de educação. “Mais importante do que a lei, é a discussão sobre a educação na sociedade”, disse Janine Ribeiro. “Essa discussão nem sempre foi amena, nem sempre foi fácil, mas é próprio da democracia que haja divergências, e é próprio da educação que haja evolução.”

Na quarta-feira, 24, na cerimônia de aniversário de promulgação da Lei nº 13.005/2014, Janine Ribeiro assinou portarias relacionadas ao PNE. A primeira institui a instância permanente de negociação federativa no Ministério da Educação, que reúne o próprio MEC e representantes das secretarias estaduais e municipais de educação. Esse espaço de negociação busca fortalecer a articulação entre os sistemas de ensino para atingir as metas do PNE e a criação do Sistema Nacional de Educação.

Outra portaria constitui o fórum permanente para acompanhamento da atualização progressiva do valor do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. O fórum reúne representantes do Poder Público federal, estadual e municipal e entidades de classe dos trabalhadores da educação. A terceira portaria propõe consulta pública sobre o texto-base da política nacional de formação dos profissionais da educação básica.

As três portarias — nº 618, nº 619 e nº 620 — foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 25. Na página do PNE na internet é possível verificar o andamento do plano em cada município do país.

Fonte: Portal do MEC

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Parceria Votorantim pela Educação: Três Marias (MG) inicia avaliação participativa da educação municipal

O município de Três Marias, em Minas Gerais, recebeu, na última quinta-feira, dia 18 de junho, a Reunião de Mobilização do Ciclo 2 do Parceria Votorantim pela Educação – PVE. O evento contou com a participação de cerca de 50 pessoas, entre diretores de escolas públicas, pedagogos, estudantes, assistentes sociais, policiais militares, representantes da gestão pública e comunidade em geral.

“Diversos problemas que as cidades enfrentam, como a violência, o envolvimento com drogas e o desinteresse social, muitas vezes têm suas raízes na educação deficiente”, disse Warley Gomes, gerente da unidade de Três Marias da Votorantim Metais, durante a abertura da reunião, referindo-se à proposta do PVE de engajar escola, famílias e comunidade pela melhoria da qualidade da educação.

De acordo com João Paulo Moreira Rabelo, mobilizador do PVE em Três Marias, o programa tem buscado, este ano, trabalhar em parceria com os conselhos municipais, convidando, a cada reunião, um conselho diferente para ser o anfitrião do evento e compartilhar suas experiências e boas práticas. “No Ciclo 1, em abril, tivemos uma apresentação do Conselho Tutelar, que abriu a reunião falando sobre sua atuação em Três Marias. Já para a reunião da última quinta-feira, convidamos o Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas, que falou sobre suas ações, drogas lícitas e ilícitas, dependência química, e sobre os desafios para famílias e estudantes que se envolvem com esse tipo de problema”, conta.

Como estratégia de mobilização, João Paulo destaca a realização do encontro na Câmara de Vereadores de Três Marias, espaço destinado ao debate público no âmbito municipal. “As reuniões do PVE passaram a ser realizadas na Câmara Municipal, este ano. É um local interessante pois, além da maior visibilidade, coloca a educação na pauta e chama a atenção dos vereadores para o tema”, observa.

No evento, também foi discutida a implementação do Indique no município. Desenvolvido pelo Ministério da Educação e pela ONG Ação Educativa, a metodologia convida a própria comunidade a avaliar a escola a partir de uma série de eixos.

“A proposta do Indique, em um primeiro momento, gerou certa ansiedade entre os diretores de escolas e de algumas creches, porque mexe com toda a estrutura da escola e da instituição de educação infantil, envolvendo alunos, pais, professores e equipe da escola de um modo geral”, conta a secretária de Educação de Três Marias, Thais Kênia Castelo Branco Marciano. “Mas, com a capacitação oportunizada pelo PVE, as dúvidas foram esclarecidas. As escolas estão preparadas e estamos esperançosos com a avaliação, depois com o plano de ação e, consequentemente, com o resultado, a melhoria da educação de modo geral. A equipe está preparada e a Secretaria de Educação vai dar todo o suporte”, afirma.

Segundo a secretária, o Indique é uma ferramenta interessante porque avalia todos os eixos da escola, desde a parte pedagógica até a estrutura física e o ambiente educacional. Em Três Marias, a aplicação da metodologia de avaliação teve início ontem (23 de junho) e segue com reuniões em todas as unidades de ensino do município até o dia 3 de julho. “Em cada dia e em cada instituição terá uma pessoa da Secretaria de Educação para dar atenção e apoiar o processo”, afirma a secretária.

De acordo com Marciano, a iniciativa gera alguma ansiedade, pois, uma vez que se abre espaço para a comunidade escolar emitir sua opinião sobre a qualidade do ensino, é preciso garantir que as expectativas sejam atendidas. “Considero isso importante porque todos devem se comprometer com os resultados e as ações. Depois da avaliação, vamos apresentar o resultado, com os indicadores de cada instituição e com um plano de ação, para o prefeito e para o setor de planejamento da prefeitura. Desse modo, poderemos, a partir do ano que vem, começar a destinar os recursos para as áreas indicadas e, de fato, atender aos anseios da comunidade escolar”, explica.

Por Bernardo Vianna / Blog Educação

Fotos: Grupo de Mobilização do PVE de Três Marias

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Escolas de Altônia (PR) mobilizam famílias para melhorar aproveitamento do ensino

Participantes do encontro realizado na EM Rui Barbosa
As escolas municipais Rui Barbosa e Governador Jayme Canet Junior, localizadas em Altônia (PR), vêm apostando na mobilização das famílias e da comunidade como forma de contribuir para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem. Em ambas as instituições, o trabalho de divulgação da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos é promovido pela Secretaria Municipal de Educação (SME) com o auxílio dos educadores.

Ação na EM Rui Barbosa foi promovida por iniciativa da
Secretaria Municipal de Educação de Altônia
No dia 7 de maio, a mobilizadora social pela Educação e coordenadora do 1º ao 5º ano na SME, Maria de Lourdes Freitas da Silva, realizou encontro com os pais e a comunidade local da EM Rui Barbosa. Durante a atividade, a mobilizadora distribuiu exemplares da Cartilha e discutiu com os participantes sobre seu conteúdo.

Evento semelhante havia sido realizado no dia 8 de abril na EM Governador Jayme Canet Junior. Nas duas escolas, as ações de incentivo à interação família-escola-comunidade contaram também com apresentações de alunos que participam de programas desenvolvidos nas instituições, como o Mais Educação.

Atividades desenvolvidas pelos alunos foram
apresentadas na EM Governador Jayme Canet Junior
De acordo com Maria de Lourdes, as atividades nas escolas alcançaram seus objetivos. “Como mobilizadora social pela Educação, estou sensibilizada com a participação dos pais e responsáveis. Nas instituições da rede municipal de Altônia, a maioria dos pais mostra interesse e acompanha o desenvolvimento dos filhos, participando de reuniões bimestrais e também de comemorações”, relatou.


Familiares de alunos e membros da comunidade compareceram
ao evento na EM Jayme Canet Junior
A representante da Secretaria de Educação também enfatizou a importância de estimular a participação dos familiares no cotidiano escolar. “Não há como pensar em educação sem o envolvimento da família nesse processo. Escola e família são instituições sociais muito presentes na vida escolar do aluno, de forma que só se pode pensar em sucesso educativo se pensarmos também em trabalho conjunto. Educar é sem dúvida um papel que recai sobre a família e a escola. Por isso, quanto mais estreita for essa relação, melhor será o resultado”, refletiu Maria de Lourdes.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Grupo coordenado pelo MEC vai mapear experiências inovadoras e propor políticas

Como parte da prioridade que o ministro Renato Janine pretende conferir à inovação da educação, será realizado nesta terça-feira, 23, em Brasília, uma reunião para formação de um grupo de trabalho nacional, que deverá mapear a busca por experiências inovadoras em educação básica no país e formular diretrizes para políticas públicas nessa área.

O grupo é composto por educadores de referência nacional, sob a coordenação da assessora especial do MEC, a socióloga Helena Singer. O objetivo é criar uma rede que envolva representantes de todas as regiões do país, escolas, universidades, centros de pesquisa e organizações da sociedade na pesquisa, divulgação e fortalecimento das propostas de inovação nas práticas escolares.

O grupo discutirá a possibilidade de um chamamento, que pode ser feito por edital, para anunciar a busca pela inovação em educação básica. Outra proposta é a criação de indicadores que mostrem resultados, não só divulgando, mas incentivando a reprodução de experiências positivas.

“O ministro tem dito que educação compreende três coisas ao mesmo tempo: inclusão, qualificação e criatividade, e é necessário que essas iniciativas dialoguem”, diz a assessora. Ela observa ainda que é importante criar novas experiências em educação, fortalecendo a reprodução das que já existem.

Para caracterizar o que é uma experiência inovadora em educação – e orientar as pesquisas – Helena Singer aponta critérios. Um deles é a utilização de novas tecnologias. “A escola tem de ter perspectivas que reconheçam os estudantes como autores, não simplesmente usuários, mas produtores de cultura e conhecimento”, afirma a socióloga.

Outros critérios para definir inovação nas ações educativas são o desenvolvimento integral, que inclui os aspectos ético, afetivo, social e cultural; a associação do direito de aprender à garantia dos direitos básicos; a mediação de conflitos pelas próprias instituições escolares, com ambiente acolhedor, solidário e educativo, e a produção de cultura em seus territórios, por meio de atividades e eventos que envolvam a comunidade. 

Por Ana Cláudia Salomão / Portal do MEC

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Lei Municipal institui Dia e Semana da Mobilização Social pela Educação em Itajaí (SC)

Comitê de  Itajaí articulou a criação da Lei do Dia
e da Semana de Mobilização Social pela Educação na cidade
Com a sanção da Lei nº 6634, de 14 de janeiro de 2015, Itajaí (SC) é mais um dos municípios brasileiros que incluíram a Semana e o Dia da Mobilização Social pela Educação em seus calendários oficiais. A lei foi articulada pelo Comitê de Interação entre Família, Escola e Sociedade Organizada de Itajaí (CIFESO), em conjunto com o secretário municipal de Educação, Edison d’Ávila e a vereadora Dulce Amaral, que levou o projeto para a Câmara de Vereadores.

As comemorações do Dia e a Semana de Mobilização em Itajaí estão previstas para serem realizadas no dia 19 de setembro e na semana que incidir a data. Para o período, entre as atividades sugeridas na Lei estão ciclo de palestras, blitz educativas, conferências e gincanas sobre a importância do envolvimento de familiares e da comunidade no cotidiano escolar.

Acesse aqui o arquivo da Lei nº 6634, de 14 de janeiro de 2015, que estabelece o Dia e a Semana de Mobilização Social pela Educação em Itajaí (SC).


Fortalecimento das ações

Ações nas escolas envolvem pais, alunos e educadores
(foto: Secretaria de Educação de Itajaí)
A aprovação da Lei que institui o Dia e a Semana de Mobilização em Itajaí contribui para consolidar o trabalho exitoso de sensibilização das famílias e da comunidade desenvolvido pelos mobilizadores locais. De acordo com a mobilizadora e supervisora de Gestão Compartilhada da Secretaria Municipal de Educação, Nádia Regina Machado, cerca de 10 mil famílias são alcançadas pelas ações do Comitê de Interação entre Família, Escola e Sociedade Organizada de Itajaí (CIFESO).  

Segundo Nádia, o grupo de mobilizadores da cidade catarinense emprega diversas estratégias para conscientizar as famílias. Entre elas, está a distribuição de exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos e a reflexão sobre o conteúdo da publicação em atividades como festas da família e feira de livros nas escolas.

Mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus
filhos
 é debatida nas ações promovidas pelo CIFESO

(foto: Secretaria de Educação de Itajaí)
Além disso, a mobilizadora aponta que são promovidas reuniões periódicas para avaliação das ações e formação de novos mobilizadores. “Realizamos um encontro em cada mês. Nestes encontros, temos momentos de formação, momentos de apresentação do que foi executado de acordo com o planejamento pelo mobilizador, para compartilhar e dar satisfação ao comitê do que está sendo realizado”, informou Nádia Regina.


As atividades de formação de mobilizadores recebem o apoio da Secretaria Municipal de Educação, que disponibiliza link para inscrição para os eventos na área “Formação Continuada” do site www.educacao.itajai.sc.gov.br. “Realizamos formação com pais, professores, funcionários, lideres comunitários, representantes de ONGs, gestores educacionais, alunos maiores de 18 anos, conselheiros escolares e membros das Associações de Pais e Professores para ser Mobilizador Social pela Educação e também se integrar no Comitê de Interação entre Família, Escola e Sociedade Organizada de Itajaí”, destacou Nádia. 

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Programa desenvolvido pelo Instituto EDP incentiva participação da comunidade nas escolas

O Instituto EDP (IEDP), organização que coordena as ações socioambientais da distribuidora de energia EDP, iniciou em maio mais uma edição do programa EDP nas Escolas. A iniciativa é composta por diferentes frentes de atuação e destinada a estudantes e professores de 24 escolas públicas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Tocantins. Além de alunos e educadores, familiares e membros da comunidade participam das atividades.

O programa inclui palestras sobre valores e cidadania; energia e consumo; e gestão de resíduos sólidos, que serão ministradas por representantes do Instituto  e voluntários da EDP ao longo de três meses para o corpo docente. Ao final, os professores poderão desenvolver projetos de intervenção escolar que englobem os temas da capacitação e espelhem as prioridades das comunidades onde vivem. Os melhores trabalhos serão escolhidos por uma comissão e contemplados no prêmio “Professor Sustentável”, em outubro.

“O foco do programa é contribuir para a melhoria da qualidade de ensino, com alunos providos de materiais escolares, professores capacitados e escolas bem equipadas. Além disso, a ideia é envolver a família nesse processo”, informou o representante do Instituto EDP, Anderson Silva.

Saiba mais sobre o programa EDP nas escolas no site do Instituto.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos é divulgada em Muaná (PA)

Cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos é
apresentada em escola de Muaná
Com o objetivo de incentivar a interação entre familiares e educadores, escolas da zona urbana e rural de Muaná (PA) vêm realizando palestras para apresentação da mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. As ações são organizadas por professores que coordenam a representação de Muaná do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp). 


Familiares de alunos e comunidade escolar
participaram da ação
A cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos é o principal instrumento de trabalho dos mobilizadores sociais pela Educação e traz orientações aos familiares sobre como se envolver de forma mais efetiva na trajetória escolar de crianças e adolescentes. Além da publicação, os participantes das palestras discutem o papel dos conselhos escolares e dos sindicatos na Educação. 

Segundo o mobilizador Elder Vieira dos Reis, as atividades nas escolas de Muaná foram bem sucedidas. “Houve grande participação da comunidade escolar e apoio total ao nosso trabalho”, apontou. 

Com informações de Elder Vieira dos Reis, mobilizador social pela Educação em Muaná (PA).

terça-feira, 16 de junho de 2015

Prazo para aprovação dos planos de educação de estados e municípios encerra no dia 24 de junho

Construído com a participação popular em conferências e seminários pelo país, o Plano Nacional de Educação tornou-se lei no ano de 2014. O PNE apresenta 20 metas que englobam todas as etapas da educação e que devem ser cumpridas até o ano de 2024. Para isso, essa mesma lei prevê que estados e municípios também tenham seus planos de educação alinhados ao plano nacional e as leis dos entes federativos devem ser sancionadas até o dia 24 de junho, prazo previsto pelo próprio PNE.

O alinhamento dos planos é necessário para a construção de uma política pública educacional que atue para minimizar as desigualdades sociais e educacionais no país. Para essa construção, o ministro da educação, Renato Janine Ribeiro, acredita que o mais importante é o processo de discussão na sociedade. O ministro confia que este processo de participação social na construção dos planos locais vai gerar comprometimento de todos com a educação. 

Conforme o texto base, as metas do PNE são orientações para enfrentar dificuldades como o acesso e a permanência de crianças e jovens nas escolas, bem como as desigualdades educacionais em cada território, por exemplo.  O plano também se preocupa em garantir princípios como do respeito aos direitos humanos, à sustentabilidade socioambiental, à valorização da diversidade e da inclusão e à valorização dos profissionais que atuam na educação.

O Plano Nacional de Educação é um programa de estado, não de governo, porque se trata de um plano decenal, ou seja, tem a validade de dez anos por força constitucional. 

Para saber mais acesse pne.mec.gov.br

Fonte: Portal MEC

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Mobilização Social pela Educação alcança municípios do Vale do Mucuri – MG

Convite para as oficinas elaborado pela CIMOS-VMU
Os municípios de Novo Oriente de Minas, Setubinha, Monte Formoso, Bertópolis e Crisólita, localizados na região do Vale do Mucuri, em Minas Gerais, vão receber, de 8 a 12 de junho, Oficinas de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação. A atividade é realizada pela Coordenadoria Regional de Inclusão e Mobilização Sociais do Vale do Mucuri (CIMOS-VMU), órgão do Ministério Público de Minas Gerais, através do Projeto Social 10Envolver, desenvolvido nos municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) do estado.

Por ter objetivos alinhados com o Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação (PMSE/MEC), o representante da CIMOS-VMU, Marcelo Vilarino, entrou em contato com a equipe do PMSE para articular os eventos de formação. O Projeto 10Envolver é realizado com a participação de universidades públicas, como a UFMG, UFVJM, UFJF e a UNIMONTES, e visa contribuir com os esforços para superação do quadro de vulnerabilidade social entre os 10 municípios com menor IDH-M no estado, entre eles, os 5 municípios do Vale do Mucuri que irão sediar as Oficinas.

O trabalho de mobilização das comunidades em prol da Educação, conta Marcelo, já é posto em prática pelo Projeto. “Durante os trabalhos de campo, foram identificados inúmeros desafios dentre os municípios partícipes, dentre eles o elevado grau de analfabetismo e evasão escolar nos municípios. A partir das discussões realizadas com a sociedade local, conseguimos criar comissões locais de educação e iniciamos várias reuniões para definirmos estratégias de ações para reverter o grave quadro educacional local”, explicou.

As exposições das Oficinas serão conduzidas pela coordenadora do Plano de Mobilização Social pela Educação no MEC, Ivanete Oliveira dos Santos. Durante os eventos, os participantes vão conhecer as principais metas e estratégias do PMSE, bem como exemplos bem-sucedidos de sua implementação em diversas localidades. Fundamentos da interação família-escola-comunidade, sugestões de atividades para incentivar a aproximação entre familiares e educadores e dados sobre os avanços e desafios da educação brasileira também estão na pauta das formações.

Acesse aqui os convites para as Oficinas de Formação nos municípios de Novo Oriente de Minas, Setubinha, Monte Formoso, Bertópolis e Crisólita, com informações sobre local e horário. 

Saiba mais sobre a CIMOS-VMU no blog http://cimos.blog.br/

terça-feira, 2 de junho de 2015

Escolas de Bagé (RS) promovem ações de mobilização das famílias e da comunidade

Alunos, pais e educadores participaram das ações
As escolas da rede municipal de Bagé (RS) realizaram, no dia 28 de abril, atividades de conscientização sobre a importância da participação das famílias no cotidiano escolar. A ação envolveu pais, mães, educadores e membros da comunidade e foi organizada pelas escolas em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação.

Materiais sobre a importância da
participação na vida escolar foram
distribuídos pelos mobilizadores aos
familiares de alunos
Entre as ações, foram promovidas caminhadas pelos bairros, palestras nas unidades de ensino sobre a mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos, além de distribuição de adesivos para carros sobre o tema. Segundo a mobilizadora Márcia Paiva, as atividades estimularam o diálogo entre familiares e educadores e foram desenvolvidas “enfocando sempre a importância dos pais participarem da vida escolar dos filhos”, apontou.

As ações de Mobilização Social pela Educação vêm sendo realizadas anualmente nas escolas de Bagé. De acordo com Márcia, o interesse pelas ações tem aumentado. “A cada ano cresce o público envolvido nessas atividades de mobilização da comunidade escolar”, informou.