segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Conae 2014: Prioridade é regulamentar sistema de educação, concluem delegados

Encerramento da 2ª Conae, em Brasília
(foto: Sandro Damasceno/Conae/FNE)
Os 2,6 mil delegados que estiveram reunidos ao longo de cinco dias em Brasília, na 2ª Conferência Nacional de Educação (Conae), encerrada no domingo, 23, deliberaram que a regulamentação do Sistema Nacional de Educação (SNE) é uma das prioridades a serem buscadas. O coordenador do Fórum Nacional de Educação (FNE), órgão responsável pela organização da conferência, Francisco das Chagas Fernandes, destacou que o Plano Nacional de Educação (PNE) já estabeleceu que o SNE deve ser organizado por meio de regulamentação.
 
“Durante a conferência, aprovamos a instituição do SNE. Portanto, o que a Conae de 2014 deliberou vai ao encontro daquilo que o PNE aprovou”, afirmou Chagas. “Se conseguirmos regulamentar o artigo 23 da Constituição, segundo o qual a educação deve ser feita em regime de cooperação e colaboração entre os entes federados, teremos um bom andamento em relação à construção do sistema.”

Nos cinco dias da Conae, representantes de todas as etapas da educação pública e particular, de setores sociais, das três instâncias do Poder Executivo, gestores, trabalhadores, pais e estudantes participaram de colóquios e debates sobre o tema O Plano Nacional de Educação na Articulação do Sistema Nacional de Educação: Participação Popular, Cooperação Federativa e Regime de Colaboração. A partir das discussões, divididas em sete eixos temáticos, foram aprovadas propostas sobre os rumos a serem seguidos pela educação brasileira. Elas integrarão o documento final do encontro.

Na primeira edição da Conae, em 2010, o documento final resultante dos debates serviu de base para a elaboração do PNE. O projeto de lei resultou na Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que reúne as metas na área educacional para o período de 2014 a 2024.

Expectativa — Fábio Aparecido Pereira Barbosa, representante dos trabalhadores da educação pública, considerou os debates proveitosos. “A esperança é a de que os poderes Legislativo e Executivo possam analisar esse documento final e dar um encaminhamento favorável às propostas apresentadas”, disse.

Para Adamskely Rolim de Oliveira, representante dos estudantes da educação superior, a Conae proporcionou uma visão da totalidade do ambiente educacional. “Tive a oportunidade de manter contato com a realidade alheia”, disse. “Não só pensar no que eu preciso, no que eu vivencio dentro da sala de aula, mas saber a realidade dos profissionais da educação, dos técnicos, das pessoas da educação no campo, por exemplo. É a riqueza da diversidade cultural.”

Conforme Francisco das Chagas, as expectativas em relação à Conae foram alcançadas. “Aprovamos as melhores propostas, mesmo levando em consideração as polêmicas que tivemos, temos e vamos continuar a ter”, afirmou. “Todos estão no mesmo espaço de debate, e fica claro para cada um o lugar em que estão as divergências e os motivos de elas existirem em determinadas propostas e concepções.”

Balanço — A etapa final da Conferência Nacional de Educação recebeu 3,6 mil participantes — 2.658 delegados de todo o país. Os debates obrigatórios, que precedem o encontro nacional, ocorreram em 2013. No total, foram realizadas 2.824 conferências municipais e intermunicipais, que reuniram 776.142 pessoas. Também houve 26 conferências estaduais, além de uma no Distrito Federal, que agruparam 23.085 delegados.

O Fórum Nacional de Educação reúne-se em 9 de dezembro próximo. Na pauta, o balanço da conferência, a incorporação de mais entidades e a eleição da nova coordenação.

Fonte: Portal do MEC

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Mobilização Social pela Educação é tema de Mesa de Interesse na Conae 2014

O Plano de Mobilização Social pela Educação será um dos temas debatidos nas mesas de interesse da 2ª Conferência Nacional de Educação (Conae), promovida de 19 a 23 de novembro em Brasília (DF). As mesas de interesse serão realizadas no sábado, dia 22 de novembro, e têm como objetivo oportunizar discussões setoriais relacionadas com educação. 

A Mesa de Interesse Plano de Mobilização Social pela Educação: Interação escola, família e comunidade será conduzida pela coordenadora do Plano no Ministério da Educação, Ivanete Oliveira dos Santos. Durante a Mesa, a se realizar das 16h às 18h, serão apresentadas as metas e estratégias do Plano de Mobilização, bem como suas principais conquistas desde sua implementação, em 2008. Os participantes receberão também orientações para que atuem como mobilizadores em suas comunidades e haverá espaço para perguntas e esclarecimento de dúvidas.

Sobre a Conae 2014

Realizada a cada quatro anos, a conferência de 2014 coloca em debate o Plano Nacional de Educação na articulação do Sistema Nacional de Educação: participação popular, cooperação federativa e regime de colaboração. Nos cinco dias da Conae, os delegados, que representam todas as etapas da educação pública e privada, gestores, trabalhadores, pais e estudantes, setores sociais e as três instâncias do poder executivo, vão participar de colóquios, debater e deliberar. Para organizar a discussão, o Fórum Nacional de Educação (FNE), instância que planeja e organiza a conferência, dividiu o tema central em sete eixos. Todos os temas convergem para o compromisso nacional de execução das metas do Plano Nacional de Educação (PNE 2014-2024).

Serviço

Mesa de Interesse: Plano de Mobilização Social pela Educação: Interação escola, família e comunidade
Data: 22 de novembro de 2014
Local: Sala 21 - Centro Internacional de Convenções de Brasília (local da Conae 2014)
Horário: 16h às 18h

Com informações do site da Conae 2014 e do Portal do MEC. 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Solicite exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos

Passado o período eleitoral, em que esteve suspensa a distribuição de material com a marca do Governo Federal, as mobilizadoras e mobilizadores sociais pela Educação já podem voltar a solicitar exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos à equipe do Plano de Mobilização Social pela Educação no Ministério da Educação. Para tanto, é necessário enviar e-mail para o endereço mobilizacaosocial@mec.gov.br ou preencher o formulário abaixo com as informações requeridas:


Lembramos que, caso opte por fazer a solicitação por e-mail, também é necessário informar esses dados.

Sobre a cartilha
 
Principal instrumento de trabalho dos mobilizadores,  a cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos foi elaborada em conjunto pelo Ministério da Educação e por instituições parceiras da Mobilização Social pela Educação e traz dicas e orientações para o cuidado com a educação dos filhos em casa e na escola. Com ilustrações do cartunista Ziraldo, a publicação pode ser utilizada pelos mobilizadores em atividades de sensibilização dos pais sobre como sua participação na trajetória de formação dos alunos pode contribuir para a melhoria do ensino oferecido nas escolas públicas.

Para saber mais sobre como trabalhar com a cartilha, acesse aqui Plano de Ação produzido pela empresa Olhar Cidadão, que atua em conjunto com o projeto Parceria Votorantim pela Educação – importante parceiro do Plano de Mobilização.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Vitória de Santo Antão (PE) recebe Oficina de Formação de Mobilizadores

Vitória de Santo Antão é mais um município pernambucano que vem buscando reforçar a interação família-escola-comunidade. Para tanto, a cidade recebe, nos dias 6 e 7 de novembro, Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação, promovida em parceria pela Gerência Regional de Educação (GRE) da Mata Centro e o Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação (PMSE/MEC).

São esperados para a atividade cerca de 100 participantes, entre gestores escolares, educadores, conselheiros escolares e estudantes. A Oficina conta com exposições conduzidas pela representante do PMSE/MEC, Luiza Catarina de Sousa Carvalhal.

Durante o evento, os participantes vão conhecer as orientações do Plano de Mobilização Social pela Educação, bem como exemplos bem-sucedidos de sua implementação em diversas localidades. Serão apresentados, ainda, dados sobre a Educação no Brasil, os fundamentos da interação família-escola-comunidade, e as metas para a Educação Básica do Plano Nacional de Educação (PNE). 

Serviço

Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação em Vitória de Santo Antão (PE)
Data: 6 e 7 de novembro de 2014
Local: Auditório da GRE Mata Centro
Horário: 8h às 18h

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Mobilização Social pela Educação avança em municípios pernambucanos

As ações de mobilização da comunidade e das famílias em prol da melhoria da qualidade da educação vêm sendo fortalecidas nas cidades de Limoeiro, Vicência e em diversas localidades da região da Zona Mata Norte de Pernambuco. O avanço é resultado de eventos de formação realizados nos municípios e do empenho de mobilizadores locais para conscientizar pais, mães e responsáveis sobre a importância de sua participação no cotidiano escolar. 

Limoeiro (PE)

Formação de mobilizadores sociais pela Educação foi uma das
atividades do I Congresso de Mobilizadores em Limoeiro
Em Limoeiro, as atividades de incentivo à interação família-escola foram reforçadas com a realização do I Congresso de Mobilizadores Sociais pela Educação, nos dias 26 e 27 de agosto. O evento foi promovido por iniciativa da coordenadora do Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (FEDCA/PE), professora Maria da Conceição Ferreira Barbosa de Melo, que também é presidente da entidade não governamental Centro Joaquim Vicente Pereira, e contou com exposições conduzidas pela representante do Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação (PMSE/MEC), Doris Cardoso Prudente Bertolino. 

Mesa de abertura do evento
Entre os participantes, o Congresso de Mobilizadores em Limoeiro reuniu educadores, conselheiros tutelares, gestores escolares, representantes da Gerência Regional de Ensino (GRE) do Vale do Capibaribe e estudantes do curso Normal Médio da Escola Estadual Padre Nicolau Pimentel. Além de mobilizadores limoeirenses, participaram do Congresso representantes do município pernambucano de Lagoa de Itaenga. 

O evento teve como um dos principais resultados a criação de Comitê local para conduzir as ações de mobilização. De acordo com a representante do PMSE/MEC, Doris Cardoso, o engajamento dos voluntários é fundamental para ampliar o alcance da mobilização na região. “As lideranças importantes nesse primeiro momento são aquelas que se voluntariaram a participar do comitê formado. São atores que estão conscientes de seu papel como protagonistas do movimento de mobilização social pela educação”, ponderou.

Confira abaixo a lista dos membros do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Limoeiro (PE): 

Membros do Comitê de Mobilização de Limoeiro formado
durante o Congresso de Mobilizadores
  • Celia Maria Guedes Bezerra Belarmino – professora da Escola Estadual Profª Suzel Galiza e presidente da Associação Adolfo Bezerra de Menezes – celiamariaguedes306@gmail.com
  • Edjane Ribeiro dos Santos – gestora da Gerência Regional de Educação (GRE) do Vale do Capibaribe – regional.vc@educacao.pe.gov.br
  • Elikennedy Gadelha de Arruda – professor do Centro Joaquim Vicente Ferreira (CJVC) – kennedy-oluas@hotmail.com
  • Elizabety de Assis Ferreira Silva – aluna do curso Normal Médio da Escola Estadual Padre Nicolau Pimentel – elizabety-assis2013@hotmail.com
  • Juracy Cristovão Barbosa de Melo – representante doCentro Joaquim Vicente Ferreira  (CJVC) – juracyceca@outlook.com
  • Magali Morgana de Melo – técnica da Gerência Regional de Educação (GRE) do Vale do Capibaribe – morgana.jep@gmail.com
  • Maria da Conceição Ferreira Barbosa de Mello – professora e coordenadora do Centro Joaquim Vicente Ferreira -CJVC/FDCA – ceca_ferreira@hotmail.com
  • Maria Valeria Silva de Oliveira – aluna do curso Normal Médio da Escola Estadual Padre Nicolau Pimentel – mariavaleriasilva@hotmail.com
  • Miriam Francisca da Silva Lyra – conselheira tutelar – miriamlyra2008@gmail.com


Vicência e Zona da Mata Norte – PE 

Representantes dos municípios de Vicência, São Vicente Ferrer, Camutanga, Itambé, Nazaré da Mata, Macaparana e Aliança estiveram reunidos durante a 1ª Oficina de Mobilização pela Educação da Zona da Mata Norte de Pernambuco: Roda de Conversa entre Comunidade, Escola e Família. Realizado no dia 25 de junho, em Vicência, o evento também teve como resultado a formação do Comitê de Mobilização que vem atuando na cidade.

Promovida por iniciativa da mobilizadora Maria da Conceição Costa Melo, a Oficina foi conduzida pelo representante do Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação (PMSE/MEC), Sérgio Benedito Maia. Durante a atividade, os participantes conheceram as metas e orientações do Plano de Mobilização, bem como exemplos de sua implementação em diversas localidades. Foram apresentados, ainda, dados sobre a Educação no Brasil e os fundamentos da interação família-escola-comunidade. 

Estiveram presentes na formação dirigentes municipais, técnicos das secretarias de Educação da Zona da Mata Norte de Pernambuco, gestores escolares, representantes dos poderes Legislativo e Judiciário, além de membros de conselhos de controle social, sindicatos e associações comunitárias, entre outros.

Confira abaixo a composição do Comitê de Mobilização de Vicência (PE): 

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Conferência coloca em discussão o Plano Nacional de Educação

De 19 a 23 de novembro, 3,5 mil delegados eleitos em todo o país estarão em Brasília para a 2ª Conferência Nacional de Educação (Conae). Realizada a cada quatro anos, a conferência de 2014 coloca em debate o Plano Nacional de Educação na articulação do Sistema Nacional de Educação: participação popular, cooperação federativa e regime de colaboração. Além dos delegados, 500 observadores vão acompanhar as discussões.

Nos cinco dias da Conae, os delegados, que representam todas as etapas da educação pública e privada, gestores, trabalhadores, pais e estudantes, setores sociais e as três instâncias do poder executivo, vão participar de colóquios, debater e deliberar. Para organizar a discussão, o Fórum Nacional de Educação (FNE), instância que planeja e organiza a conferência, dividiu o tema central em sete eixos. Todos os temas convergem para o compromisso nacional de execução das metas do Plano Nacional de Educação (PNE 2014-2024).

O eixo número três, por exemplo, coloca em discussão na Conae o tema Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável – cultura, ciência, tecnologia, saúde e meio ambiente. Já o eixo quatro traz para o debate a Qualidade da Educação – democratização do acesso, permanência, avaliação, condições de participação e aprendizagem.

Alcance – A preparação da 2ª Conae mobilizou setores da educação e da representação da sociedade durante 2013. No primeiro semestre, foram realizadas 2.329 conferências municipais, 19 plenárias no Distrito federal e 495 conferências intermunicipais. Participaram dessa série de encontros, 776.142 cidadãos. As 26 conferências estaduais aconteceram no segundo semestre e reuniram 23.085 participantes. Foram as instâncias estaduais que elegeram os 3,5 mil delegados.

Além dos eventos presenciais, aconteceram conferências livres e discussões nas redes sociais na internet e nas mídias nacional, regional e local. O FNE contabilizou 1,8 milhão de participantes nesses debates. Já a comissão especial de monitoramento e sistematização da conferência registrou aproximadamente 30 mil emendas em parágrafos do documento-referência da Conae durante o ano de 2013.

A 2ª Conae será realizada no Centro Internacional de Convenções Brasil (Cicb), no Setor de Clubes Esportivos Sul, trecho 2, conjunto 63, lote 50, em Brasília.

Memória – A 1ª Conferência Nacional de Educação aconteceu entre 28 de março e 1º de abril de 2010, em Brasília. Naquele ano, os 2,5 mil delegados debateram e tomaram decisões sobre a criação do Sistema Nacional de Educação e propuseram diretrizes e estratégias para a construção do Plano Nacional de Educação (PNE). O PNE foi concluído em dezembro de 2010 e enviado ao Congresso Nacional pelo presidente da República.

Criado em dezembro de 2010, o Fórum Nacional de Educação tem, entre suas atribuições, convocar, planejar e coordenar a conferência, que é realizada a cada quatro anos. A próxima será em 2018.

Acesse a página eletrônica da Conae para acompanhar as atividades.

Fonte: Portal do MEC

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

MEC e ArcelorMittal promovem formação de mobilizadores em João Monlevade (MG)

Nesta quinta-feira, 30 de outubro, o município mineiro de João Monlevade recebe Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação, realizada pela unidade local da ArcelorMittal em parceria com o Plano de Mobilização Social pela Educação do Ministério da Educação (PMSE/MEC). A atividade tem como objetivo reforçar a atuação de educadores, familiares de alunos e parceiros do Programa Mobilização, desenvolvido na cidade pela Fundação ArcelorMittal Brasil em conjunto com a ArcelorMittal Monlevade e apoiado pelo MEC. 

As exposições da Oficina serão conduzidas pelo representante do PMSE/MEC, Paulo Ronaldo dos Santos. A abertura do evento conta, ainda, com a presença da secretária municipal de Educação, Helena Perdigão; da assessora de Governo, Leiza Hermsdorff; do presidente da Câmara Municipal, Guilherme Nasser; e de representantes da ArcelorMittal Monlevade e da Fundação ArcelorMittal Brasil.

Durante a formação, os participantes vão conhecer os fundamentos da interação família-escola-comunidade, as orientações do Plano de Mobilização Social pela Educação e exemplos de boas práticas de mobilização em prol da melhoria da qualidade da Educação realizadas em diversas localidades. Serão oferecidas também informações sobre a Educação no Brasil e debatidas maneiras de fortalecer o Comitê Gestor do Programa MobilizAção em João Monlevade.

Leia mais sobre a Oficina no site De Fato Online.  

Serviço

Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação em João Monlevade (MG)
Data: 30 de outubro de 2014
Local: ArcelorMittal Monlevade - Av. Getúlio Vargas, 100, Centro Industrial - João Monlevade (MG)
Horário: 9h às 17h

Com informações do site De Fato Online

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Plano Municipal de Educação: convocar, ouvir, redigir

Formulação do PME exige diagnóstico da educação local, mobilização constante e sistematização do trabalho


Imagem: Revista Escola Pública
A formulação do Plano Municipal de Educação deve começar com um bom diagnóstico. Afinal, não é possível estabelecer metas sem saber de onde se está partindo e quais os recursos disponíveis para alcançá-las. Não se trata apenas de um processo burocrático de juntar dados e a participação da sociedade já pode ser incluída nessa etapa. 

A construção conjunta do diagnóstico e a sua divulgação posterior permitem que se avance também na mobilização e qualificação da participação. A população, muitas vezes, desconhece detalhes da gestão da educação, da legislação e outras informações que ajudam a formular as propostas. “A participação não é espontânea, ela precisa ser cuidada”, lembra Ananda Grinkraut, assessora da Ação Educativa. “É preciso propiciar a participação, não só num momento grande, como na conferência, mas antes disso também, para que as pessoas saibam do que se trata, tenham acesso ao documento, possam participar de fato”, diz Tatiana Bello Djrdjran, especialista em gestão educacional da Fundação Itaú Social.

Tudo isso pode levar tempo. Edna Lopes, do Conselho Municipal de Educação de Maceió, diz que foram necessários dois anos para que a comunidade realmente estivesse pronta para tomar o processo de criação do PME nas mãos. Como a Lei 13.005/2014, do atual PNE, prevê que os municípios apresentem seus planos em um ano, o trabalho tem de ser intenso.

Para criação do PME, é fortemente recomendado que se realize uma Conferência Municipal de Educação, para que sejam debatidas as propostas recolhidas ao longo do processo. O caráter participativo e representativo da conferência permite que o plano ganhe tanto em conteúdo, como em peso político. 

Já a revisão, embora também deva garantir a participação efetiva da sociedade, pode ser um processo mais simples, dependendo do estágio em que se encontra a execução do PME em vigência. Em Maceió, por exemplo, onde o plano foi aprovado em 2012, o Conselho Municipal está iniciando a organização de um grande seminário.

Redação

Ananda chama a atenção para a necessidade de incluir no plano estratégias que possam garantir a plena execução das metas. São três as questões fundamentais nesse caso: a previsão de formas de financiamento, o estabelecimento de um cronograma de avaliação das metas e a definição das instâncias de acompanhamento – o Fórum Municipal de Educação, em geral.

A sistematização das propostas é uma etapa fundamental à legitimidade do processo. Exige sensibilidade para perceber as aproximações e as diferenças entre as proposições saídas das muitas reuniões realizadas com a comunidade. Daí a importância de que a comissão formada para essa tarefa seja plural. O grupo irá trabalhar na preparação da etapa de formulação e aprovação do projeto do PME e também na sua redação final.

O texto do PME não precisa ser nada complicado ou rebuscado. Quanto mais direto e objetivo, mais fácil se torna o trabalho posterior de implementação. O grupo responsável pela sistematização das propostas que chegam da comunidade tem, portanto, a tarefa de simplificar sua redação. Nesse momento também é necessário observar o PNE, a divisão de tarefas entre os entes federados e a articulação entre eles. E não se deve esquecer que existem legislações a serem seguidas. Além da Constituição Federal, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação e o PNE, é preciso considerar o quadro legal estadual, a Lei Orgânica do Município, a Lei de Diretrizes Orçamentárias, o Plano Plurianual e o Plano Diretor.

Discussões em curso

- Diagnóstico da situação da educação no município: A tarefa cabe aos organizadores do processo, mas já pode ser realizada de forma participativa. Dados socioeconômicos, as estatísticas oficiais e os resultados das avaliações do município e estado, além da legislação, fazem parte do levantamento. Avaliações qualitativas, feitas pela comunidade, podem ser agregadas.

- Comunicar e preparar para a participação: Além de estratégias para mobilizar a comunidade, é preciso também levar à população informações que a qualifiquem para os debates. A divulgação do diagnóstico é essencial.

- Dinâmica de reuniões: Estabelecer um calendário, horários e locais compatíveis com a realidade de cada público que se deseja trazer para a discussão. Facilitar o acesso aos encontros é chave para garantir a participação ampla.

- Sistematização das propostas: A comissão de sistematização deve refletir a pluralidade do processo. A tarefa exige trabalho intensivo do grupo, o que deve ser previsto no planejamento. O material organizado servirá de base para a etapa final de formulação ou revisão do PME. Após essa etapa, a comissão também será responsável por redigir a proposta de plano que então seguirá para a aprovação no Legislativo.

- Conferência Municipal: Quatro questões devem ser observadas: elaborar um regimento com regras claras para a eleição e distribuição equitativa das vagas de delegados; uma convocação ampla da comunidade; divulgar com antecedência o material feito pela comissão de sistematização e criar uma programação do evento que preveja espaço para o debate antes da aprovação final. 

Fonte: Revista Escola Pública - http://revistaescolapublica.uol.com.br/

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Escola de Queimados (RJ) incentiva diálogo entre professores, famílias e comunidade

Encontro pedagógico na EM Luiz de Camões incentivou diálogo
entre professores e comunidade
A Escola Municipal Luiz de Camões, localizada na cidade de Queimados (RJ), vem se empenhando para estreitar o vínculo entre familiares, educadores e comunidade. Exemplo desse esforço pôde ser conferido no mês de agosto, quando a unidade de ensino realizou encontro pedagógico sobre a importância da interação família-escola-comunidade. 

A ação foi organizada pela gestora da escola, Adriana Felipe, em conjunto com a orientadora educacional e mobilizadora, Dilcelina Vasconcelos. Na ocasião, as educadoras debateram com professores da instituição de ensino formas de fazer com que a escola se torne mais presente na comunidade. 

O encontro contou, ainda, com a presença do integrante do Comitê regional da Baixada Fluminense, David Arcenio. Complementando o diálogo com os professores, o mobilizador sugeriu estratégias de incentivo à interação família-escola baseadas em experiências bem-sucedidas de Mobilização Social pela Educação e em pesquisas acadêmicas na área. 

Com informações de David Arcenio, mobilizador social pela Educação na Baixada Fluminense. 

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Concurso Tempos de Escola divulga Destaques Nacionais e Municipais

A 6º edição do Concurso Tempos de Escola chega a sua etapa final. Neste ano, alunos e professores de 16 cidades apoiadas pelo projeto Parceria Votorantim pela Educação – PVE participaram da competição, que teve com tema geral Nossa cidade também ensina. A educação está em todos os lugares. A iniciativa recebeu 3.982 redações e atingiu a maior média de inscrições por município desde que teve início.

De acordo com o regulamento, todos os textos passaram por um processo de triagem realizado pela equipe técnica do PVE e os finalistas foram avaliados por uma comissão julgadora formada por representantes do Instituto Votorantim, do Ministério da Educação – MEC, do Canal Futura e da Comunidade Educativa CEDAC.

Os alunos do 4º, 5º e 6º ano do ensino fundamental (Categoria 1) reconhecidos como Destaques Municipais do concurso serão premiados com uma bicicleta; os alunos do 7º, 8º e 9º ano do ensino fundamental (Categoria 2) e do 1º ao 3º do ensino médio (Categoria 3) irão receber uma câmera fotográfica. Todos também terão os seus textos publicados no Blog Educação (em breve) e receberão um diploma de participação.

Já os estudantes do Ensino para Jovens e Adultos – EJA (Categoria 4) serão premiados apenas como Destaques Nacionais, junto com outros alunos de cada categoria do concurso. Todos os Destaques Nacionais receberão um computador notebook. As premiações serão realizadas, em cada município participante, até o dia 30 de novembro de 2014. 

Confira, no Blog Educação, a lista com os nomes dos ganhadores da 6º edição do Concurso Tempos de Escola.